gap_horizontal.png

Construtores de Almas

                                      Discere, contribute,docere non: saluto sine donis!

 

anjos6.jpg

                                                       Inevitabilidades

 

Tire os seus olhos dos meus olhos, agora

Não é brincadeira de criança, garota

É provocação perigosa que gera drama

Afaste o olhar do meu nesse instante

É uma afronta que acabará na cama

 

Você é confiante, domadora de homens

Não conhece caras como eu

Que não se envolvem com muitas

Tudo acaba em amor e sexo selvagem

E no fim alguém se machuca

 

Obedeça e afaste os seus olhos

Não me apetece reconhecer o brilho neles

As promessas que virão e que serão correspondidas

 

Tem coragem suficiente para isso?

Não seja arrogante, menina!

Caso se apaixone não haverá volta

Mantenha os olhos em seus pés

Na cor do esmalte escolhido

 

Permita que eu me afaste com dignidade

Para passar a noite com uma garrafa de conhaque

Até adormecer entorpecido

Amanhã carregarei a eterna dúvida

De como teria sido

 

                                                                      Marcelo Gomes Melo

                                                      Fé, não sapiência

 

A água, o sangue, a lama do mangue

 

A lava do vulcão, o gol da seleção

 

A correnteza do rio, o calor, o frio

 

Os dias de loucura, as noites de reflexão

 

O que de você será, o que eles todos serão

 

Como vivenciar sem se envolver por completo

 

Como experimentar sem viciar-se de afeto

 

Os rumores, os ditos, os sussurros, os gritos

 

As almas em reunião, as garças e o gavião

 

O poder de quem observa, o gestual de quem preserva

 

As minúcias únicas de cada homem

 

Das mulheres, dos lobisomens

 

O soro da vida eterna, o ouro da fé materna

 

O crime, o castigo, o que escondo, o que digo

 

As pazes subentendidas, as luzes mal-entendidas

 

Isso tudo é fé, da cabeça ao pé

 

Não sapiência.

 

                                                                            Marcelo Gomes Melo

resquícios2.jpg

                                                     Resquícios do amor

 

... E então haverá o tempo em que viverás

 

Aquela paixão arrasadora e cruel

 

Que te arrancará do chão tal e qual

 

A uma árvore milenar açoitada pelo vento

 

Das tempestades irredutíveis

 

Que arrancam as raízes e te atiram

 

Ao espaço, totalmente vulnerável e mortal

 

E essa paixão te fará abdicar da razão

 

E todos os pecados se farão necessários

 

Para aplacar a sede incomensurável

 

Que ela tem de sugar tudo que te seja caro

 

Até que com a alma desnuda

 

Perguntas ao espelho se farias tudo outra vez

 

Mesmo conhecendo o final corrompido

 

Em que tu, mocinho da película juvenil

 

Te transformas na vítima perfeita

 

O exemplo cabal de como acabam aqueles

 

Tolos sensíveis que acreditam no amor

 

Devastados, sem rumo, a imagem do fracasso

 

 E ainda assim responderás, só a carcaça inerte

 

Com um sorriso tétrico e tenebroso

 

Evocando todos os sons da tristeza condensada

 

Viciado nos açoites e torturas intermináveis

 

Responsável pela guarda do claustro da dor

 

Responderás, sinistro como todos os imbecis o são

 

Que repetirias a jornada em troca do sorriso

 

Mais falso, do afago mais frio, da mentira perfeita

 

Porque o teu Norte, agora, e para sempre

 

Te marcará como um irreconhecível

 

Retrato da vida arriscada de quem ousa

 

Desafiar as paixões, torturado para sempre

 

Por um resquício, que seja, de amor

 

 

Marcelo Gomes Melo

 

rose.jpg

                                                                   A lida

 

Você me beija um pouco

Eu te amo um pouco

E a vida segue

Aliviando o sufoco

 

A gente briga um pouco

Faz as pazes um pouco

E o sonho segue

Lhe dando o troco

 

Um pouco na cama

Um pouco no lago

Um pouco de água

Um pouco de afago

 

Ninguém nos vê

Quando estamos um

Ninguém nos lê

Em linguagem comum

 

Eu te beijo um pouco

Você me ama um pouco

E eu te enlouqueço

E você me deixa louco

Luz de Minerva

Acalentando o pôr-do-sol

 

                                                 Marcelo Gomes Melo

 

Widget is loading comments...
dark4.jfif

Ode à destruição

 

Você urrava e você gemia, na floresta dia, noite, dia

Você fingia que sabia, você olhava, mas não via

Escrevia, mas não lia, se perdia na poesia

Morto de medo nas raízes das centenárias árvores

Sorvia o mais puro oxigênio e o suor escorria

Quase alucinado, alienado aguardava o que podia

Tentaria sobreviver, tentaria

A sua vida se esvaia

Atormentado como um detetive em um mangá sórdido

Vitimizado mesmo sendo vilão, o algoz

Da natureza não via como escapar

Você tentava implorar, mas a sua voz não saía

Não saber aumentava a ansiedade

Torpor era tudo o que você pedia

Perder-se na poesia, morrer do jeito como vivia

Viver do jeito que morreria

Ocultando a tentativa de aguardar o que jamais viria

Jamais viria...

 

                    Marcelo Gomes Melo

Widget is loading comments...
batalha.jpg

Batalhas inclementes

 

Eu acordo pronto para a batalha

Há muitos anos.

A armadura desgastada, as armas afiadas

A empunhadura perfeita aconchegada pelo uso.

O que muda através do tempo

São as cicatrizes, visíveis e invisíveis

A disposição que aos poucos se corrói

Embora a férrea vontade siga a instigar

Firme e inabalável, a continuidade do inevitável.

Dormir agora é mais difícil, prejudicado pelas dores

Assombrado pelo desespero incubado que aumenta

Em meio à escuridão profunda

Fazendo ansiar pelas primeiras luzes naturais.

Elas indicam o reinício da luta interminável

Do caminhar sem alento em direção ao fim inevitável.

Todos morrem aos poucos, dia após dia

A pior das sensações desde que inventaram

O amor interrompido.

 

       Marcelo Gomes Melo

 

 

Widget is loading comments...
chuva2.jpg

       Ajustes

A mente controla o corpo
E o corpo sofre as consequências
De uma mente desajustada
Por uma consciência bruta.
Mesmo assim não há vantagem
Em saber desses processos
Sem conhecer as razões pelas quais
O corpo sofre enquanto a alma vaga
Sem encontrar o encaixe perfeito
Que abrandaria o sofrimento.
Viver assim é solitário
Porque é impossível descrever
E a dor é individual assim como o prazer.
Sobreviver diariamente a tal situação
É desafio hercúleo, e milhões passam por isso
Constantemente sem ter o direito de externar
E parecer alguém que maximiza a própria sorte.
Ou a falta dela.

 

Marcelo Gomes Melo

 

Widget is loading comments...
verão5.jpg

    Coragem

 

Urge lhe dizer do amor

Que sinto

Antes que o mundo acabe

Antes que o café esfrie

E a neblina venha

Urge declarar a paixão

Que move o meu corpo

Antes que você viaje

Que o clima mude

Que a canção termine

Que a vida se destrua

Preciso lhe falar do amor

Que jamais acaba

E determina o rumo

Dos meus dissabores

Nada de hesitação

Agora no momento agudo

Nada de dedicação

A uma causa apenas

Já que amar envolve

Todas as decisões

Todas as procissões

Todas as ações que transformam

Um homem

Até o momento em que retorne ao pó

 

Marcelo Gomes Melo

 

 

Widget is loading comments...

                                                           

 

 

 

 

 

coxas2.jpg

                                                   Bela das coxas de seda

 

A bela das coxas de seda

Oferecidas daquela forma

Entreabertas, nada sutil

Era conhecimento para toda a vida

Muito mais para um homem simples como eu

Hipnotizado pelas promessas que, inerentes ao gesto

Fazia tremer ante a expectativa de se tornar imortal

De uma forma inigualável

É assim que qualquer homem se deixa dominar

É assim que a vida transforma e a gente rememora para sempre

Como se fosse hoje

O tempo para entre as pernas de uma mulher

Urge liberar o prazer do fundo da alma

Não há pressão que resista ao teor relaxante das sensações

Não há risco que não valha a pena

Apenas prazer inesquecível.

 

 

Widget is loading comments...
Suçuarana1.jpg

                                                               Suçuarana

 

Between your legs

 

Under the pale lights

 

Bring me the flowers

 

Top flavors of the universe

 

On my tongue

 

On my lips

 

On my wet fingers

 

and in my thoughts

 

Always

 

Until the morning comes

 

 You will be my sacred

 

 Beautiful lady

 

Our secrets eaten with hungry

 

Carefully touched by my hands

 

Your body tortured by my lips

 

Possessed by my eyes

 

So infinitely taste

 

Your hands on my shoulders

 

 Under me, down on me

 

The history has going on

 

                                                         Marcelo Gomes Melo

Widget is loading comments...
sensual.jpg

                                                         Suçuarana

 

Entre suas pernas

Sob as luzes pálidas

Traga-me flores

Melhores sabores do universo

Na minha língua

Em meus lábios

Em meus dedos úmidos

E em meus pensamentos

O tempo todo

 

Até amanhecer

Você será a minha sagrada

Bela senhora

Nossos segredos comidos com fome

 

Cuidadosamente tocado pelas minhas mãos

Seu corpo torturado pelos meus lábios

Possuído pelos meus olhos

Infinitamente delicioso!

 

Suas mãos em meus ombros

Sob mim, sobre mim

A história acontecendo

 

                                                                  Marcelo Gomes Melo

 

Widget is loading comments...

                                                                                            Clique sobre o livro

                                                   Amor como arma

Um grupo terrorista composto por malucos tenta colocar em ação um plano excêntrico: controlar a humanidade subjugando o suposto domínio das mulheres do qual é vítima a população masculina. Como deter a onda absurda de violência imposta por eles, salvar a própria vida e o casamento é a tarefa nada fácil de Sean Karves, detetive particular. Com a ajuda dos amigos e jornalistas Rita D'Alessio e Ulrich Garcia, precisará de muita esperteza e perícia para sobreviver e evitar a total destruição da raça!

 

tsunami2.jpg

                                           Smile magnetized, fever of fate

 

Keep yourself smiling, baby girl

 

While my thoughts in Rubble

 

 Looks around too shy to think

 

 My way, then, to be close

 

 Is to kill the anxiety

 

 Throwing bombs and chocolate kisses

 

 Against the wall

 

 Like a ping-pong ball, kisses

 

They return to myself

 

Anxiety becoming smiles

 

Imagination smiles

         

As someone who doesn’t own that smile

         

It has its own life and belongs

         

Who is unprepared

         

Because he is indomitable and unattainable

         

Any soft smile on the verge of a tsunami

         

Will destroy it? Will be destroyed by it?

         

Or will the mixture of the gods with every plan

         

All pleasures and all sorrows?

 

Keep yourself smiling, baby girl

         

At the dream world and in the real world

         

Take care yourself

         

And you will rule over them without fear

 

Every smile is a kiss

         

And each kiss is a song

         

Every song is a wish

         

And our desires are immortal!

 

Widget is loading comments...
rosa2.jpg

                                   Dos sorrisos imantados à febre do destino

 

Mantenha-se sorrindo, garotinha

         

Enquanto meus pensamentos em escombros

         

Olham em volta, tímidos demais para pensar

         

Meu jeito, então, de estar perto

         

É matar a ansiedade

         

Jogando bombas e beijos de chocolate

         

Contra a parede

         

Como uma bola de pingue-pongue, beijos

         

Retornam para mim

         

Ansiedade se tornando sorrisos

 

A imaginação sorri como alguém

         

Que não possui esse sorriso

         

Tem sua vida própria e pertence

         

A quem não está preparado

         

Porque é indomável e inatingível

         

Qualquer sorriso à beira de um tsunami

         

Vai destruí-lo? Será destruído por ele?

         

Ou será que a mistura dos deuses com seus desígnios

         

Todos os prazeres e todas as dores?

         

Mantenha-se sorrindo, garotinha

         

No mundo dos sonhos e no mundo real

         

Cuide-se

         

E você irá governá-los sem medo

         

Cada sorriso é um beijo

         

E cada beijo uma canção

         

Cada canção um desejo

           

E nossos desejos são imortais!

 

 

 

Widget is loading comments...

                                                                                                  Clique sobre o livro

Uma coletânea de textos poéticos em língua inglesa com tradução livre para o português que traz o intuito de conectar o leitor à subjetividade da poesia e à diversidade de significados que vão além do idioma, procurando comunicar através de sensibilidade e paixão.

A busca pelo encaixe perfeito nas entrelinhas, a arte de morar entre os versos alcançando significados pessoais, únicos. Fly away, child! The world belong to you!